Sobre o SOS

Quem Somos

Uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que utiliza o riso como elemento de conexão e afeto, propondo encontros que possam inspirar e motivar transformações. Atuando desde 2008, com o objetivo de promover arte e cultura através da linguagem do palhaço e contribuir com a humanização e promoção da saúde no ambiente hospitalar na cidade de Ponta Grossa no Paraná.

O trabalho desenvolvido não tem custo para o hospital sendo realizado por um elenco que compõe artistas profissionais e amadores, todos com prática artística focada na linguem do palhaço.

 

Propósito Institucional

Promover a experiência das intervenções no ambiente hospitalar, tendo como principal linguagem artística a arte do palhaço e propor encontros que possam inspirar e motivar através do riso e do afeto como elementos de conexão, buscando contribuir para a promoção da cultura e da saúde.

 

Especificidades

Contribuir com a humanização hospitalar tendo como referência o lado saudável dos pacientes. Utilizando a alegria como estado gerador e transformador de ambientes e a chamada Psicologia Positiva, que tem como princípio estimular a força, ou seja, “o que está bom” e funcionando bem na vida de um ser humano, de modo a ajudá-lo a alcançar a plenitude de seu potencial, quebrando a rotina, amenizando o medo e o impacto do ambiente hospitalar.

 

Saiba mais…

Nossas matérias primas são a arte, o humor, a humanização, o amor e a alegria – todos recursos renováveis, que se multiplicam a cada sorriso. Este, por sua vez, é nossa fonte de energia, sustentável e contagiante, altamente recomendada e sem contraindicações.
Usando a menor máscara do mundo, um nariz vermelho, jaleco branco e estetoscópio no pescoço, os palhaços se fingem de médicos e acrescentam ao tratamento dos pacientes grandes doses de alegria, de forma a tornar a rotina hospitalar mais leve e humanizar o ambiente, reduzindo o impacto da internação.

 

Público Alvo:

Hospitais, inclusive preferencialmente com atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).
As intervenções atingem crianças a partir dos primeiros meses vida e adultos hospitalizados, enfermarias, (UTI) unidades de terapia intensiva se estendendo aos acompanhantes, profissionais de saúde, recepções e salas de espera.

 

Regularidade:

Encontros semanais, propondo a transformação da rotina hospitalar, objetivando novos olhares e experiências que possam modificar e diminuir o impacto da internação.

 

A intervenções são gratuitas para os hospitais e são mantidas por doações de pessoas e empresas.
Voltar para o site